Alguma vez você já foi a um restaurante e, imediatamente, formou uma opinião – boa ou má – simplesmente entrando pela porta? Na verdade, isto acontece porque temos parâmetros mínimos de limpeza, ambientação, cordialidade e qualidade que nos “dizem” o que é bom e o que é ruim. Mesmo que os conceitos de cada pessoa sejam diferentes, alguns deles são básicos e comuns a todos.

Assim, imagine-se indo a um local bem recomendado pela comida. Você entra e sua primeira visão é de pisos sujos, paredes manchadas, sem ninguém para recepcionar, enfim, um “astral ruim”. Tudo bem que a comida pode ser boa, mas a primeira impressão foi altamente negativa. Correto? Mais ainda, você começa a se questionar se vale a pena correr o risco e sentar.

O ambiente, o comportamento da equipe, o apelo visual, a qualidade dos alimentos, a limpeza e as primeiras impressões normalmente refletem a qualidade da propriedade e gestão do restaurante.

O negócio de restauração é um terreno fértil para o inesperado, como pedidos incompletos, funcionários que faltam, desvio de dinheiro, clientes insatisfeitos, falhas nos equipamentos, e uma lista sem fim. Muitas vezes os proprietários e gestores assumem o papel reativo de um bombeiro apagando incêndios, e são incapazes se preocupar com a impressão que causam aos clientes. A mancha no forro se torna cada vez maior, as toalhas sujas são uma constância, os anéis de cebola perdem a crocância e a equipe gradualmente se torna apática no atendimento ao cliente.

Por outro lado, os gestores proativos gastam menos tempo no combate aos incêndios e mais tempo criando impressões positivas através da implementação de sistemas e controles para manter seu restaurante em funcionamento, limpo e em bom estado de conservação. Para minimizar o inesperado, eles colocam forte ênfase na formação de pessoal, têm uma política de atendimento que assegura a adesão da equipe aos padrões de serviços da casa e se utilizam de listas de verificação para fazer o controle de qualidade diário.

Quando o restaurante está funcionando como uma máquina bem lubrificada, os gerentes e proprietários têm mais tempo para olhar o restaurante através dos olhos de seus clientes – e fazer os ajustes necessários. Iluminação e música estão sempre no nível perfeito, se uma mesa está suja deve ser limpa imediatamente, quando algo quebra deve ser consertado, e quando um cliente entra ele deve ser calorosamente recebido.

Ao causar uma ótima primeira impressão, você aumenta suas chances de ter a oportunidade de causar uma segunda. Afinal, é disto que você, e seus funcionários vivem: um restaurante bem frequentado em função da qualidade, do atendimento e das instalações bem cuidadas.

Boa sorte e bons negócios!

http://www.blogdobanas.com.br/como-seu-restaurante-pode-causar-boa-impressao-2/

últimos Artigos

Chef de Cozinha – Definição, Formação, Atividades

Hotelaria, Restauração
http://pro-thor.com/wp-content/uploads/Chef-de-Cozinha-Definição-Formação-Atividades.docx [...]
Marcelo Góis

Chocolate Fantasy 20 Recipes

Gastronomia
http://pro-thor.com/wp-content/uploads/Chocolate-Fantasy-20-Recipes.pdf [...]
Marcelo Góis

Código de ética da hotelaria

Direito, Hotelaria
http://pro-thor.com/wp-content/uploads/codigo-de-etica-de-hotelaria-2-1.pdf [...]
João Carlos

Comunicação e Marketing

Comunicação, Marketing
http://pro-thor.com/wp-content/uploads/Comunicação-e-Marketing.docx [...]
Unknown

Comunicação e Turismo

Comunicação, Turismo
http://pro-thor.com/wp-content/uploads/Comunicação-e-Turismo.pdf [...]
Yvanilde Soares

cookery – jamie oliver

Gastronomia
http://pro-thor.com/wp-content/uploads/cookery-jamie-oliver.docx [...]
Adilson Barros

50 receitas de cozinha molecular

Gastronomia
http://pro-thor.com/wp-content/uploads/CUISINE_R-EVOLUTION.pdf [...]
Unknown

creme de marisco

Gastronomia
http://pro-thor.com/wp-content/uploads/Creme-de-marisco.xls [...]
Unknown

geral@pro-thor.com | Pro-Thor © 2015-2017 | Todos os direitos reservados.